prosa

Oi oi, tudo bem com vc caro leitor?

Estava eu aqui pensando…

Ontem foi meu aniversário. Completei 22 primaveras, que acredito terem sido bem vividas ao meu ponto de vista. Não digo que eu fiz de tudo na vida ou que já vivi grandes aventuras.

Mas sempre que penso em quem eu sou,  no que tenho feito da minha vida, penso inevitavelmente nas pessoas que caminham comigo. Hoje vendo a publicação de um amigo no facebook, me dei conta de que nunca o conheci pessoalmente, que é apenas virtual, mas que em determinado período teve muita relevância, e inclusive contribuiu muito para o meu gosto musical, me apresentando novos artistas.

Penso que parte do que eu sou foi construída aos poucos, que existe uma essência, mas que aos poucos vai sendo acrescida daquilo que eu vou me tornando. Assim, cada conversa, indicação de texto, música ou livro, agrega um pouco daquela pessoa em mim.

Sendo assim, posso dizer que eu sou uma pessoa agraciada por conhecer tanta gente legal, e aqueles nem tão legais assim, agradeço por terem sido exemplo de como não ser.

Então se me olhar e ver talvez alguém que não se vê costumeiramente, entenda, eu sou parte de muitos que fizeram parte do que eu sou agora, de uma maneira ou outra. Somos isso, mosaico das nossas experiências.

E sim, esse é meu primeiro texto e prosa por aqui. Espero que tenham gostado.

Beijo, beijo.

Ps: esse texto era pra ter sido publicado dia 11/02.

Padrão

Pro dia nascer feliz

A cidade acordando e você ainda nem dormiu,
ficou ai pensando mil coisas,
na vida, na existencia, na realidade
pensando no que as coisas são e no que elas podem se tornar
pensando em quem vc se transformou,
quem você quer ser?
quem é você?
é você essa moça que esconde o rosto por entre as mãos?
mas que nao tem medo de mostrar quem realmente és,
porque és tu, querida,
diferente de tudo que conhecem,
sem padrão, não usual, diferente.
Então aproveita o nascer do sol e entende que esse é um novo dia
um dia pra ser feliz.
viver e não se arrepender,
que Deus abençoe, e assim seja.

Padrão

O Início do início

Quando produzimos algum tipo de arte, nem sempre ficamos à vontade para publicarmos o que temos, por isso, vou aos poucos soltando alguns textos engavetados. Que eu me lembre essa foi o primeira vez algum texto  nasceu de pronto e inteiro. É de 2010 e foi produzido para um concurso de poesias do SENAI. Aproveite, inspire-se e fique bem.

Espelho da alma

Penso, logo escrevo

Escrevo porque sou

Sou o que penso

Sou aquilo que quiser ser

As palavras são o filtro de minha alma

Onde nelas,

Apenas repousa a melhor parte

Do meu eu

Parte que traduz, mostra, induz, seduz

Mostrando um mundo que só existe

Através das palavras

E é meu

Padrão

O Início

Venho desde muito relutando para criar esse blog, mas agora acho muito necessário, independente do medo dos julgamentos e mal entendidos que podem vir.

Segue um poema meu:

Rebeldia

Ah obrigações, os contratos sociais é que me matam
a morna rebeldia que tanto diz seu criolo,
a essa rebeldia contida, exumada, execrada,
deitada em braços esplêndidos, opressores,
de uma pátria amada q não nos ama
Não amores, sim jazigos
Cheios de pobres, negros, do inimigo interno
daqueles que são nossa força de trabalho,
mas que muitos consideram sujeira periférica,
mesmo quando ela está no centro
aquele que limpa a tua casa, que faz o teu pão na chapa,
mas e daí?
Afinal, quem se importa?
Vou todos os dias igualmente realizar a carreira para qual tanto
sonhei e estudei
Plano de carreira, automóvel, comissão.
sou feliz, assim nesse mundo, que é de todo mundo
mas injusto, e que pra esse,
só importa sua satisfação.

Padrão